sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Aula - Plano Espiritual


Atividade: Construções Espirituais

Este joguinho, estou postando aqui bem simples, somente para dar aquele "empurrãozinho" na inspiração de cada um.
O tema era Plano Espiritual e, na evangelização anterior foi Imortalidade da Alma, então, os temas se encadearam naturalmente.
Meu objetivo era levar a criança a entender que, se somos espíritos imortais, nossa morada verdadeira é o plano espiritual, e são as nossas atitudes aqui que indicam como será a nossa vida lá. Se optarmos por atitudes positivas, construiremos uma boa morada, uma vida feliz, no plano espiritual.
Para ilustrar, fizemos a brincadeira, onde as crianças iam, através de boas atitudes, construir a casa no plano espiritual. Eram crianças pequenas, de até 6 anos.
Levei um cartaz escrito “As construções espirituais” com uma casa esboçada faltando as partes, para que as crianças achassem as peças e a montassem. As peças eram conseguidas através de uma brincadeira, da qual vou postar apenas 4 tarefas. Mas, na verdade, pode-se completar para fazer até os tijolinhos da casa (que aliás foi como eu fiz), ou seja, no cartaz tem apenas o esboço indicando onde cada peça será colada. E cada peça tem uma atividade interligada a ela, já que indica virtude. As atividades ou tarefas devem ser condizentes com a virtude que representa a peça. Veja o exemplo:

1) Para ganhar o alicerce, onde estava escrito: “Evangelho de Jesus”, as crianças tiveram que achar, dentro de uma caixa com vários objetos, as figuras dos livros de Allan Kardec.
2) Para ganhar a Disciplina, as crianças tinham que colocar na ordem correta os livros de Allan Kardec que tiraram de dentro da caixa.
3) Para ganhar a Caridade, as crianças tiveram que montar o quebra-cabeças grande que levei, com uma cena de gentileza.
4) Para ganhar o Perdão, as crianças tiveram que resolver o labirinto gigante que preparei (três folhas de papel craft) para reconciliar os dois irmãos que estão brigados.

Entendeu a técnica?
Pode ser adaptado a qualquer idade. Qualquer uma mesmo, pois já fiz com jovens, em um jogo estilo gincana, bem cooperativo e eles amaram. Para os menores, a casa que construímos era bem grande mesmo. Foi feita com papel cartão na época, para maior resistência, tudo colorido. E foi tijolo por tijolo. Vale lembrar que todas as peças terão a virtude correspondente escrita nelas com letras o maior possível. E isso vale mesmo para as crianças que ainda não sabem ler.
Basta adaptar as tarefas  que dá muito certo. Como fazer isso? Imaginando cada uma de minhas crianças, o que gostam, o que sentirão, o que ajudará com que entendam os objetivos da evangelização...
Ah, usei, como eu disse, para o tema Plano Espiritual. Mas pensa nessa brincadeira adaptada para o tema Família, ou Lar... Não seria legal?

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Aula - Lindos Casos de Bezerra de Menezes

LINDOS CASOS DE BEZERRA DE MENEZES


Uma carroça de alimentos...

Bezerra de Menezes não fora, com alguns de seus admiradores supõem um despreocupado com o Dia de Amanhã, com a assistência á família, com o seu e o futuro dos seus queridos entes familiares. Não. Sabia como poucos ater-se á disciplina do necessário, a desprezar o supérfluo, a não se apegar ás coisas materiais com prejuízo de seu envolvimento espiritual e da vitoria de sua Missão. Aceitava o pagamento dos clientes que lhe podiam pagar e dava aos pobres e estropiados o que podia dar inclusive algo de si mesmo. Preocupava-se, isto sim, com o futuro de seu Espírito e dos Espíritos daqueles que o Pai lhe confiou. Dia a dia, examinava-se, revia-se interiormente, para se certificar se era mais de Jesus e Jesus era dele, se a distancia psíquica entre ele e o Mestre era menor, se cumpria, como prometera, sua Tarefa testemunhal. E tudo lhe corria bem. As dividas eram pagas pontualmente. Nenhum compromisso deixava de ser cumprido. Os filhos eram educados cristãmente. Jesus morava no seu lar e dentro de seu Coração e dos Corações de seus queridos entes familiares, norteando-lhes a existência e fazendo-a vitoriosa. Numa manhã, no entanto, houve no lar uma apreensão. O celeiro estava vazio, sem viveres para o jantar... Na véspera, Bezerra havia restituído a importância das consultas aos seus clientes pobres, porque, por intuição, compreendera que apenas, possuíam o necessário para a compra dos medicamentos. Agradecera a boa intenção do farmacêutico, mas achava que não podia guardar aquela importância... Junto com a esposa, ciente e consciente da situação, ficara a pensar. Vestira e saíra, consolando a querida companheira e dizendo-lhe: - Não se preocupe, nada nos faltará, confiemos em Deus! Ao regressar, á tardinha, encontra a esposa surpresa e um pouco agastada, que lho diz: - Por que tamanho gasto! Não precisava preocupar-se tanto, comprando alimentos demais e que podem estragar-se... Mas, que acontecera? - Logo assim que você saiu, explica-lhe a esposa, recebemos uma carroça de alimentos... E levando-o á despensa, mostrou-lhe os sacos, os embrulhos, os amarrados de viveres, que recebera... Bezerra olhou para tudo aquilo e emocionou-se! Nada comprara e quem, então, lhe teria enviado tão grande dádiva se não Deus, através de seus bondosos filhos! E abraçando á querida consorte, refugiou-se a um canto da casa para Prece de agradecimento ao Pai de Amor, que lhe vitoriava a Missão, confirmando-lhe o Ideal Cristão e como a lhe dizer: - Por preocupar-se tanto com o próximo, com todos meus filhos, eu preocupo-me com você e todos os seus também meus filhos! Traduzia e opulentava para o vero Servidor a lição de Jesus, quando nos apontou os lírio dos campos, as aves que não ajuntam em celeiros e se vestem e se alimentam e jamais passam fome...

Livro: Lindos Casos de Bezerra de Menezes Autor: Ramiro G

http://peloscaminhosdaevangelizacao.blogspot.com.br/

Arte e Evangelização









Aula - Lei de Causa e Efeito




Historia retirada do livro: O BESOURO CASCA-DURA
click here