quinta-feira, 28 de julho de 2011

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Entrevista Evangelização - Frankilin Heilbuth

Meus amigos, esta é uma entrevista (parte 1/3) preciosa de nosso companheiro Evangelizador Frankilin J. Heilbuth- Núcleo Servos Maria de Nazaré - Uberlândia/ MG, à Revista  Espírita Auta de Souza,  transmitindo a  nós toda sua experiência e amor pela Evangelização Espírita Infantil. Aproveitem!




Mensagem ao Evangelizador

A Música na Evangelização

   "[...] A criança pequena não aprende por conceitos abstratos que falam ao cérebro, mas está mais aberta ao ritmo e ao sentimento que a música transmite. O ritmo e a harmonia da música auxiliam a sua harmonização interior. Assim, letras simples e objetivas, em ritmo harmonioso, alcançarão o coração infantil de forma adequada[...]"
(Walter Oliveira Alves, Educação do Espírito - Introdução à Pedagogia Espírita, 2ª ed., editora IDE, p.299 )

terça-feira, 19 de julho de 2011

Embalar

A Música na Evangelização


"[...]Meus amigos evangelizadores, utilizemos da música como instrumento valioso em nossas ações na evangelização. Ela nos proporciona o preparo dos corações em que queremos semear os ensinamentos do Cristo e da Doutrina. Faz com que atuemos em terra arada, adubada e preparada para receber as lições. Vejamos o que nos diz o livro Educação do Espírito sobre a música e a criança:"O ritmo está presente na criança à partir de seu próprio organismo: o compasso das batidas do coração, o ritmo compassado do andar, o balançar dos braços, a sequência interminável do dia e da noite, os horários das refeições, do descanso, tudo à sua volta fala que o Universo está envolvido em ritmo harmonioso.[...]"
(Walter Oliveira Alves, Educação do Espírito - Introdução à Pedagogia Espírita, 2ª ed., editora IDE, p.299 )

O Ônibus

O Patinho

sexta-feira, 15 de julho de 2011

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Alma Infantil



A alma infantil

      A alma infantil, nos diz Cecília Meirelles, como aliás, a alma humana, não se revela jamais completa e subitamente, como uma janela que se abre deixando ver todo um cenário.
          É necessário ter cuidado para entendê-la, e sensibilidade no coração para admirá-la.
          A autora nos narra que, certa vez, ouviu o comentário de uma professora que, admirada, contava sobre alguns presentes recebidos de alunos seus:
         - Os presentes mais engraçados que eu já recebi de alunos, foram, certa vez, na zona rural:
          Um, levou-me uma pena de pavão incompleta: só com aquela parte colorida na ponta. Outro, uma pena de escrever, dourada, novinha. Outro, um pedaço de vidro vermelho...
          Cecília afirma que seus olhos se alargaram de curiosidade, esperando a resposta da professora sobre sua compreensão a respeito de cada um dos presentes.
          -A amiga, então, seguiu dizendo: O caco de vidro foi o que mais me surpreendeu. Não sabia o que fazer com ele. Pus-me a revirá-lo nas mãos, dizendo à criança:

         -"Mas que bonito, hein? Muito bonitinho, esse vidro..."
          E procurava, assim, provar-lhe o agrado que me causava a oferta.
          Ela, porém, ficou meio decepcionada, e, por fim, disse: “Mas esse vidro não é para se pegar, Não... Sabe para que é?
         - Olhe: a senhora põe ele assim, num olho, e fecha o outro, e vai ver só: fica tudo vermelho... Bonito, mesmo!”
          A professora finalizou dizendo que esses presentes são, em geral, os mais sinceros. Têm uma significação muito maior que os presentes comprados.
          Cecília Meirelles vai além, e busca ainda fazer uma análise de caráter psicológico:
          O que me interessou, no caso relatado, foram os indícios da alma infantil que se encontraram nos três presentes. E os três parecem ter trazido a mesma revelação íntima:
          Uma pena de pavão incompleta – reparem bem -, só com aquele pedacinho “colorido” na ponta, uma pena de escrever “dourada” novinha, e um caco de vidro “vermelho” são, para a criança, três representações de beleza.
          Três representações de beleza concentradas no prestígio da cor e desdobradas até o infinito, pelo milagre da sua imaginação.
          Essas três ofertas, portanto, da mais humilde aparência (para um adulto desprevenido), não devem ser julgadas como esforço entristecido da criança querendo dar um presente, sem ter recursos para comprar.
          A significação de dinheiro, mesmo nas crianças de hoje, ainda é das mais vagas e confusas.
          E sua relação de valor para com os objetos que a atraem é quase sempre absolutamente inesperada.
          Eu tenho certeza - diz a autora ainda – de que uma criança que dá a alguém uma pena dourada, uma pena de pavão e um caco de vidro vermelho, os dá com certo triunfo.
          Dá com certa convicção de que se está despojando de uma riqueza dos seus domínios, de que está sendo voluntariamente grande, poderosa, superior.



        A infância não é somente útil, necessária, indispensável, mas é, ainda, a conseqüência natural das leis que Deus estabeleceu, e que regem o Universo.

         Com ela, aprendem os Espíritos que reencarnam – mais dóceis e influenciáveis quando no estado infantil.
         Aprendem também as almas que as cercam, colhendo desse período de inocência e magia o exemplo da pureza e da simplicidade de vida, que devemos todos encontrar em nosso íntimo.

Redação do Momento Espírita com base no cap. Os indícios da alma infantil,
do livro Crônicas de educação, v. 1 de Cecília Meirelles,
ed. Nova Fronteira.
Em 19.09.2008.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

ORAÇÃO DA CRIANÇA - Emmanuel

Ajuda-me agora, para que eu te auxilie depois.
Não me relegues ao esquecimento, nem me condenes à ignorância ou à crueldade.
Venho ao encontro de tua aspiração, de teu convívio, de tua obra. 
Em tua companhia estou na condição de argila na mão do oleiro.
Hoje sou sementeira, fragilidade, promessa...
Amanhã, porém, serei tua própria realização.
Corrige-me com amor,quando a sombra do erra envolver-me o caminho, para que a confiança não me abandone. 
Protege-me contra o mal.

Ensina-me a descobrir o bem, onde estiver.
Não me afastes de Deus e ajuda-me a conservar o amor e o respeito que devo às pessoas, aos animais, e as coisas que me cercam.
Não me negues tua boa vontade, teu carinho e tua paciência.
Tenho tanta necessidade do teu coração quanto a plantinha tenra precisa da água para prosperar e viver.
Dá-me tua bondade e dar-te-ei cooperação.
De ti depende que eu seja pior ou melhor amanhã.



sábado, 9 de julho de 2011

" O evangelizador não deve se prender a dificuldades. Ouvir e reconhecer os problemas das crianças incentivando-as à vitória pela perseverança e paciência. O evangelizador entusiasta emana sempre bom ânimo e incentiva a todos.
Vejamos esta mensagem: 
  
CRISE

   A crise é a melhor benção que pode acontecer a pessoas e países; porque a CRISE traz PROGRESSO.
     A criatividade nasce da  angústia, como a calmaria vem da tempestade escura.
  É na CRISE que surge a invenção, as descobertas e as estratégias de marketing.
    Quem supera a CRISE, supera a si mesmo, sem ficar superado.
    E quem pendura no gancho da CRISE  seus fracassos e lamúrias, violenta o seu próprio talento e tem mais respeito a problemas que a soluções[...]
    [...] Sem CRISE não há desafios. Sem desafios, a vida é rotina que nos chama ao túmulo. Sem CRISE ninguém tem méritos. É na CRISE que você mostra que é bom, pois sem CRISE, todo vento é uma carícia.
    Falar da CRISE é promovê-la.
    E calar na CRISE é exaltar o conformismo improdutivo.
    O que se deve fazer é trabalhar intensamente, desinflacionando a CRISE de si mesmo, e acabando de uma vez com a única CRISE  verdadeiramente ameaçadora, que é a tragédia de não querer lutar para superá-la."
 (Autor Anônimo)

(Bibliografia: Curso de Preparação para Evangelizador Infanto- Juvenil  - Editora Aliança)
    

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Vale a Pena





MENSAGEM DE DIVALDO PEREIRA FRANCO SOBRE A EVANGELIZAÇÃO INFANTIL


   É de alta importância a tarefa da educação espírita das novas gerações. Colocamos aqui a expressão educação espírita numa abrangência maior do que a da evangelização, porque a evangelização pura e simples pode parecer uma questão já colocada por determinadas doutrinas religiosas do passado.
   Mas a educação espírita, trazendo a evangelização infanto-juvenil à luz do Espiritismo, é tarefa de emergência, mais do que de urgência, porque a violência e a agressividade que hoje estão em nossas ruas, são frutos da falta de educação de massa, da educação espiritual em profundidade.
    Diz-se muito que isso tudo é resultado, em linhas gerais, dos problemas sócio-econômicos.
    Os estudiosos especializados têm chegado a muitas conclusões.
   Lamentavelmente, ainda não vimos, fora da área espírita, um sociólogo, um pedagogo que tenha chegado à conclusão de que isso resulta de fatores morais geradores do egoísmo, por consequência, dos problemas sócio-econômicos.
    
      A BASE É, PORTANTO, O PROBLEMA MORAL.

    " A educação espírita das gerações novas vai criar uma mentalidade sadia, porque ensinará à criança, desde cedo, que o berço não é o início da vida - é o começo do corpo; e o túmulo não é o fim da vida - é a porta de saída do corpo.
     Falando-lhe de reencarnação, situando no seu devido lugar a tarefa preponderante do Cristianismo, a obra da educação das gerações novas que preparará o mundo, este é um mister de muita importância que os espíritas não devem deixar à margem.
    Temos ouvido alguns confrades:
    _ Eu não forço meus filhos para a evangelização espírita, porque sou muito liberal.
    Ao que deveria juntar:
    _ Porque não tenho força moral.
    Se o filho está doente, ele o força a tomar remédios, se o filho não quer ir à escola, ele o exige. Isto porque acredita no remédio e na educação.
    Mas não crê na religião quando afirma:
    _Vou deixá-lo crescer, depois ele escolherá. 
    Isso representa o mesmo que o deixar contaminar pelo tétano ou outra enfermidade para depois aplicar o remédio, elucidando:
    _ Você viu que não deve pisar em ferro enferrujado?
    Agora irei medicá-lo.
    Ou o tuberculoso para felar-lhe dos preceitos da higiene e da saúde.
  Se damos a melhor alimentação, o melhor vestuário, o melhor colégio, dentro das possibilidades, aos filhos, por que não lhes damos a melhor religião, que é a que elegemos? cumpre aos pais o dever de dar o que há de melhor[...]"
(Bibliografia: Curso de Preparação para Evangelizados Infanto-Juvenil - Editora Aliança - p.14)

    

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Musica para Pequeninos

Mentora Espiritual da Infância

MEIMEI 
- Expressão chinesa que significa "amor puro"- nome lhe dado em vida por seu esposo Arnaldo.

"Nasceu em 22 de Outubro de 1922 em Mateus Leme (Minas Gerais)[...] Formou-se para professora. Desde pequena sofria da moléstia nefrite (complicação renal)[...] Muito inteligente e ávida de conhecimentos. Profundamente caridosa. Pura, no seu modo simples de ser e proceder [...] Foi morar em Belo Horizonte com sua irmã, e lá conheceu seu futuro esposo - Arnaldo Rocha. Viveram um sonho de amor por 2 anos."  Seu maior desejo era de ser mãe, e este não veio a se concretizar, pois Meimei desencarnou  em 1º de Outubro de 1946. Na espiritualidade conseguiu realizar o sonho almejado - ser mãezinha de inúmeros espíritos que ainda se encontram crianças . São seus filhinhos de seu coração bondoso. É mentora da infância em nosso planeta, e muito tem auxiliado a implantação e manutenção da Evangelização Infantil.

Livro: Meimei - Vida e Mensagem ; Arnaldo Rocha et al; Ano 1994 - 1ª ed., Casa Editora O Clarim.

O Olhar dos Evangelizadores para os Evangelizandos...

segunda-feira, 4 de julho de 2011

"É pela educação, mais do que pela instrução, que se transformará a Humanidade."  Kardec - Obras Póstumas

Musica para Pequeninos

A Resposta Divina

  " Quando na assembleia dos eleitos se cogitava de perpetuar a Mensagem de Jesus, renascida no Espiritismo, junto aos homens, emoção e ansiedade tomaram os corações angélicos. [...] Era necessário, afirmavam todos, manter acesso o ideal espírita-cristão nas horas que se desenhavam rudes para o porvir.
   Constatada, entretanto , a impossibilidade de reencarnações, em massa, dos numerosos seareiros do Reino, as sugestões exigiam ponderações e estudo[...]
   [...] num deslumbramento de luzes, fulgurava um coração - símbolo do amor e da maternidade - tendo ao centro o Evangelho do Mestre aberto no doce convite: "Deixai que venham amim os pequeninos..."
   Narram os apontamentos espirituais que, desde então, anualmente reencarnam-se espíritos comprometidos com o programa da Evangelização espírita-cristã junto às criancinhas, a fim de disseminarem o Verbo Divino, perpetuando nas mentes e nos corações a revelação Kardequiana sob as bençãos de Jesus-Cristo, pelos tempos a fora."
                             Amélia Rodrigues


(Educação do Espírito - Introdução  - Mensagem Recebida por Divaldo Pereira Franco em 28-1-1961)

Evangelize. Se Evangelize !

"Se você quer
Ver campo em flor
A natureza cheia de amor
Plumas brancas 
De paz no ar
Evangelize, Evangelize

De mãos dadas
Nos trigais da vida
Encontraremos Jesus Criança
No calor das mãos pequeninas
Evangelize, Evangelize

Cada flor que vai crescer
Vai o mundo perfumar
Não há tempo a perder
Hoje é dia de plantar
Evangelize, Evangelize
Se evangelize, Se evangelize."

(Música: Frankilin J. Heilbuth - Uberlândia/MG)