domingo, 1 de maio de 2016

Reencarnação

REENCARNAÇÃO






TEMA/CONTEÚDO:  

    Apresentar os princípios da Doutrina Espírita.


MOTIVAÇÃO INICIAL:

    Levar uns cubos de gelo no isopor. Colocar alguns deles num copo transparente e perguntar às crianças, o que acontecerá. Muitas delas responderão que o gelo vai derreter e virar água. Aproveitar o momento e dizer que houve uma transformação. Apesar de o gelo ter um formato, temperatura, consistência e cor diferentes, ele é a mesma água que está no copo. Algo semelhante ocorre com as pessoas, pois são Espíritos que reencarnam em corpos diferentes.






História: Lindaura, a lagarta.



    Era um dia frio, caía do céu uma chuva fina que parecia deixar mais triste o estado da nossa amiga Lindaura. Ela era uma lagarta que morava dentro de uma árvore. Sua casa era uma beleza, mas Lindaura dizia para sua amiga, uma lagarta muito meiga e delicada:

    _ Ai! estou muito triste!

    _Por que, Lindaura? Disse sua amiga.

    _Está chegando a minha hora, terei que tecer um casulo e ali permanecer fechada.

    _Por que todo esse medo?

    _Não sei como é ficar dentro de um casulo durante tanto tempo e depois terei que deixar todas as minhas coisas, minha casinha que cuido com tanto carinho, não vou mais ter esse corpo. É meu fim, morrerei para sempre.

    _Aí que bobagem, Lindaura. Você não irá morrer, continuará pensando, respirando da mesma forma, só ocorrerá uma transformação.

      Alguns dias se passaram, Lindaura e sua amiga despediram-se e foram para um galho da árvore começar a tecer o seu próprio casulo. Ficaram ali dias e dias.

     Num dia ensolarado, seu casulo começou a se romper e assim aos poucos foi se quebrando, logo o outro também se quebou e saíram duas lindas borboletas que voaram pelo céu azul. Lindaura sentindo o gosto da liberdade, bateu suas asas alegremente sorrindo e disse a sua amiga:

    _Você tinha razão, eu não devia ter me entristecido muito, afinal eu não morri. Foi somente nascer de novo para uma nova vida. Agradeço a Deus por todas as oportunidades dadas, principalmente por eu estar aqui vivendo esse momento tão belo!

    _É Lindaura, como diz o seu nome, você está linda mesmo!

    E as duas maravilhosas borboletas saíram voando pelo céu azul, encantando a todos com a beleza e enfeitando a paisagem da floresta.








Muito legal! A lagarta feita de caixa de ovo.






Essa é de copinhos descartáveis de café e lã.










Fonte:



Imortalidade

 


Olá pessoal, voltamos com nossos temas de aula. Lembrando sempre que as postagens deste blog são atividades direcionadas para crianças entre 5 e 7 anos. Temos muita carência de material para esta faixa etária, sugiro que peguem a idéia, transforme-a, dê o seu toque pessoal,

adapte-a para a condição de suas crianças. Cada grupo é diferente, merece atenção diferente. Não esqueça de colocar seu coração em tudo o que faça e boa sorte.





Será possível falar de Imortalidade da Alma para crianças desta idade? Como explicar que não morremos, que apenas nosso corpo físico morre?

Felizmente na literatura espírita infantil já encontramos livros que nos ajudam nesta tarefa. Mas antes de falarmos nestes livros que tal iniciarmos a aula com uma atividade? Então vamos lá...



Ao iniciarmos um tema com a turma, procure se possível, sentar em círculo no chão, esta forma de conversa já é conhecida pelas crianças dessa idade e assim se sentem mais a vontade.

Leve flores feitas e recortadas em cartolinas brancas e distribua para as crianças, pedindo para que pintem como quiserem.

Prenda cada flor num palito de churrasco e coloque-as em vasinho com terra (faça isso com as crianças).

Coloque no centro da "rodinha" um vaso com uma planta florida e o vasinho que as crianças fizeram e peça para que elas observem o que há de diferente entre eles. Procure extrair das crianças, através da conversa, o conhecimento delas sobre isso.

- afirme em relação as flores artificiais: são coloridas, bonitas, mas não têm vida. Elas não podem crescer, nem fazer nascer novas flores, Também não morrem nunca, podem se rasgar, mas não morrer.

- E as flores naturais? Elas nascem, crescem e um dia morrem.



Aproveitar este momento e introduzir sobre a morte das pessoas, que também nascem, crescem e um dia morrem. E aí elas acabam, desaparecem? Será que nunca mais veremos estas pessoas? Procure neste momento conhecer o que as crianças sabem a respeito deste tema. Se há alguém da família que morreu (tios, avós, amigos). Este momento é muito importante, pois antecede o livro que vamos utilizar.   http://evangelizandocomamor.blogspot.com.br/
























Desencarnação





















Este é o Livro Meu Avô Desencarnou, procure ler a história antes de contá-la para as crianças. Enfatize os momentos em que é citado que a morte existe apenas para o corpo físico. Depois de contar a história, inicie uma conversa com as crianças sobre o desencarne de pessoas conhecidas delas. Procure saber o que elas sabem e sentem a respeito. Você provavelmente se surpreenderá  com o conhecimento dos pequenos. Boa "Contação de História"...



   


Evangelho

"Bem Aventurados os Puros de Coração...



... PORQUE VERÃO A DEUS."



Simplicidade e pureza de coração.

Pecado por pensamento .


Verdadeira pureza. Mãos não lavadas!

Escândalos.

Deixai vim a mim as criancinhas.

Bem aventurados aqueles que tem os olhos fechados.
 


 Fonte: 

DINÂMICA - PRECE PELOS OUTROS


II CICLO







ATIVIDADE SOBRE PRECE

II CICLO


Explicar que as boas atitudes também funcionam como uma prece, principalmente quando fazemos com AMOR. Tudo que fazemos com amor, para ajudar o próximo, visando o bem das outras pessoas ou o nosso próprio bem,  funciona como prece e chega até Jesus. 
Apresentar diversas figuras com atitudes boas e ruins e pedir que identifiquem quais atitudes funcionam como prece (eu gosto muito de trabalhar com desenhos para que eles possam colorir depois - só as que representam a prece).
Com as figuras identificadas, vão montar um cartaz , colocando um grande coração no meio do papel e Jesus no alto. Pedir que colem as figuras ao redor do coração e, usando um barbante, levem até Jesus passando pelo coração. Ressaltar que nossa prece para chegar até o Mestre tem que, necessariamente, passar pelo coração.